Ninguém quer estar endividado não é verdade? O problema é que, vez ou outra, metemos os pés pelas mãos e tomamos atitudes sem pensar muito. Por exemplo, aquele empréstimo com juros altíssimos, que levaria anos para pagar, que o valor total é praticamente o dobro do valor que você realmente usou e que as parcelas ficaram tão elevadas que foi incapaz de cumprir.

Há muitas pessoas em situação de endividamento. Pessoas que entraram no cheque especial e não saíram mais, pessoas que pagam o cartão de crédito sempre no valor mínimo, entrando no rotativo, entre várias outras situações. As formas de se endividar são muitas.

Se você está nessa situação, fiz este conteúdo especialmente para ajudá-lo a sair dessa preocupante situação e poder, mais uma vez, respirar e dormir em paz. Confira!

Pessoa endividada x Pessoa inadimplente

Primeiro, vamos a alguns conceitos básicos para que você entenda em qual situação se encontra neste momento. Uma pessoa endividada é aquela que tem dívidas, por exemplo, você tem uma dívida com o cartão de crédito por ter usado o dinheiro que a empresa desse cartão deixou disponível para você.

Agora, uma pessoa inadimplente é aquela que não conseguiu honrar com as dívidas. Usando o mesmo exemplo, é aquela que não consegue pagar o cartão de crédito em dia. Por isso, o nome dessa pessoa acabou parando nos órgãos de proteção ao crédito, ou seja, o nome está negativado.

Mais dinheiro nem sempre é a solução

Muita gente acredita em pedir outro empréstimo para sanar as dívidas que possui no momento. Porém, esse pode ser um passo bastante arriscado para aqueles que não têm controle financeiro e assim, podem acabar aumentando a dívida com esse novo empréstimo e não conseguir pagá-las. Portanto, se não houver, primeiro, uma mudança de hábitos, ter mais dinheiro não só não vai resolver os seus problemas, como também vai criar um novo.

Como se livrar das dívidas

O primeiro passo é saber em que situação você se encontra nesse momento. Quanto está devendo? Quanto ganha por mês? Isso é o suficiente para pagar as suas dívidas? Quais são os seus gastos fixos e variáveis? Isso é importante para saber quanto dinheiro você pode dispor por mês para tentar renegociar as dívidas.

O segundo momento é estabelecer uma prioridade de pagamento. Vamos ver agora como organizar as dívidas de acordo com o grau de maior prioridade para a de menor prioridade:

  1. dívidas essenciais como contas de água, luz e outras;

  2. bens em garantia, por exemplo, o financiamento de um imóvel;

  3. cartões de crédito, empréstimo pessoal, cheque especial e outras do tipo. A ideia, nesse caso, é investir seus esforços em uma renegociação.

Agora, vem a parte que muitos acham mais difícil: renegociar. Nesse momento, é importante saber sobre o empréstimo com garantia, uma forma que pouca gente conhece. Para consegui-lo, você deve colocar um bem, móvel ou imóvel, como garantia de pagamento. Dessa forma, as taxas de juros ficam bem menores.

Você, certamente, deseja se livrar das dívidas o quanto antes não é mesmo? Uma ótima forma de fazer isso é fazendo o meu curso Dívidas Nunca Mais. Saiba agora mais sobre ele e como esse curso pode ser a solução para os seus problemas!