A declaração do Imposto de Renda (IR) está cada vez mais perto e muita gente ainda se sente completamente perdida sobre como fazer, especialmente aqueles que recebem renda variável. Por exemplo, se você tem ações na bolsa, se investe em Fundos Imobiliários (FII), enfim, se você é um investidor e está em dúvida de como fazer a sua declaração, então está no lugar certo!

Vamos agora responder a algumas dúvidas mais comuns que a maioria das pessoas, inclusive você, pode ter sobre o assunto.

1. Preciso fazer declaração do IR quando invisto em renda variável?

Não importa o quanto você investiu, se foi apenas R$ 1, você já está obrigado a declarar esse valor na sua declaração. Ainda que a sua renda e o seu patrimônio está abaixo do limite, você deve obrigatoriamente declarar. Resumindo, investiu na bolsa, precisa entregar a declaração anual do IR e as ações são apenas um exemplo.

2. Quais dados precisamos ter e o que temos que fazer para entregar a declaração para a Receita Federal?

Esse é meio que um trabalho de formiguinha porque você precisa calcular todos os meses o dinheiro que foi movimentado nesse investimento. Caso haja lucro no caso dos FIIs, você paga o IR, mas se houver prejuízo, você deve anotar esses valores para que sejam compensados nos lucros. No caso das ações, caso você venda até 20k no mês, você tem a isenção na cobrança do IR, mas caso a venda seja superior a 20k no mês e tenha lucro, precisa apurar o IR e pagar a guia DARF.

Para saber mais sobre o assunto, no canal tem um vídeo ensinando a declaração FIIS na prática e também outro explicando como você pode declarar as suas ações!

E como esse abatimento do prejuízo é realizado? Primeiro, você precisa saber que o imposto só é pago quando há lucros acumulados, mas o que vem a ser lucros acumulados? Para explicar melhor, vamos dar um exemplo.

Digamos que você teve um prejuízo em janeiro no valor de R$ 5 mil e em fevereiro o lucro foi de R$ 7 mil, o imposto não será pago com base nesses R$ 7 mil. É possível abater o prejuízo de janeiro no lucro que teve em fevereiro. Nesse caso, o seu lucro acumulado é de R$ 2 mil e, portanto, você só pagará imposto em cima desse valor. Vale lembrar que é o imposto deve ser calculado sobre o lucro líquido, ou seja, lucro bruto menos corretagem e emolumentos. Após aplicada a alíquota do IR sobre o lucro líquido, diminui-se o dedo duro (imposto retido na fonte pela corretora nas vendas dos ativos).

Se você teve prejuízo também em FII, é preciso declarar. Isso é de extrema importância, porque essa declaração consegue mostrar para a Receita Federal que você não está apenas ganhando, já que ela só vê a venda da nota e já imagina em lucro. Portanto, declarar o prejuízo é de extrema importância. A Receita “pensa” que se você não declarou é porque está tentando sonegar o imposto e a consequência mais rápida é o bloqueio do seu CPF.

3. Quem investe em renda fixa, precisa fazer a declaração?

Se você for entregar a sua declaração, também precisa colocar nela os investimentos feitos na renda fixa. Porém, se a sua renda anual e o seu patrimônio forem abaixo do limite e você só investe em renda fixa, a declaração não é necessária.

4. Como funciona os R$ 20 mil de isenção na Bolsa de Valores?

Essa isenção funciona apenas para os meses em que você vendeu ações e não para aqueles em que apenas movimentou. Você vai fazer o seguinte: pegar todas as vendas que realizou durante o mês e somá-las. Se o total for até R$ 20 mil e você teve lucro em ações, não é preciso pagar o imposto. Mas essa informação também deve ir para a declaração anual como lucro isento.

Compartilhe este post nas suas redes sociais e ajude outras pessoas que também estão com essa dúvida sobre a Declaração do Imposto de Renda para renda fixa ou variável!