Já fez o seu planejamento financeiro para este ano? Ele deveria ter sido feito lá no início, mas se ainda não está pronto, não tem problema, nunca é tarde para começar. O importante é se planejar e manter tudo em dia, criar metas alcançáveis direcionar o seu dinheiro para o atingimento dos seus objetivos no curto, médio e longo prazo.

Para fazer isso, é importante que você tenha papel e caneta na mão neste momento. Colocar tudo no papel deixa as ideias mais claras e mais fáceis de visualizá-las. Por consequência, mais fáceis de serem cumpridas. Vamos lá!?

Passo 1: anote os seus objetivos

Quais são os seus sonhos? O que você deseja conquistar? Para isso, preciso que você anote quais são os seus sonhos de curto, médio e longo prazo. Mas qual é o prazo para cada objetivo? Vamos ver:

  • curto prazo: nas metas de curto prazo você deve pontuar tudo o que deseja realizar dentro de 1 ano;

  • médio prazo: tudo o que você deseja realizar em até 5 anos;

  • longo prazo: as metas que deseja cumprir que levam mais de 5 anos.

Passo 2: faça uma pesquisa de preço

Agora que você já estabeleceu quais são os seus objetivos, é preciso agora saber quanto eles custam. Por exemplo, digamos que o seu objetivo de curto prazo seja sair da casa dos pais. Você precisa fazer uma pesquisa de preços com tudo o que vai precisar para o seu novo local de moradia: fogão, geladeira, cama, guarda-roupa, mesa, sofá, dinheiro para se manter durante o mês com alimentação, luz, internet e água, dinheiro do aluguel, entre outros gastos.

Essa pesquisa é importante para saber o valor total do seu objetivo e, a partir daí, traçar metas. Seguindo o mesmo exemplo, digamos que você precise de R$ 10 mil reais para mudar de casa até dezembro de 2019. No momento, estamos em março, então temos mais 10 meses pela frente, isso significa que, você precisa guardar R$ 1 mil por mês para realizar o seu objetivo.

Passo 3: faça uma análise das suas metas

Ainda seguindo o exemplo citado acima, o próximo passo é saber se você tem capacidade financeira para manter as suas metas. Há condições de guardar R$ 1 mil por mês sem prejudicar as suas finanças e a sua qualidade de vida?

Caso a resposta seja não, é preciso repensar as metas ou a forma de alcançá-las. Por exemplo, você pode cortar alguns gastos para sobrar mais e cumprir os seus objetivos? Pode fazer mais capital e aumentar os rendimentos no final do mês com renda extra? Caso a resposta seja não para essas duas perguntas, o jeito vai ser aumentar o prazo da sua meta para que a sua saúde financeira não fique comprometida.

Passo 4: cumpra as metas ao mesmo tempo

Se você pensar somente nas suas metas de curto prazo, nunca passará a cumprir as de médio e longo prazo. Quando alcançar a meta de sair da casa dos pais, é bem provável que você tenha uma outra meta de curto prazo e assim por diante. Dessa forma, o melhor a fazer é focar nas metas de curto, médio e longo prazo ao mesmo tempo.

Nesse caso, digamos que o seu sonho de médio prazo seja comprar um carro. Qual é o valor desse carro? Quanto deve juntar durante os 5 anos para comprar o carro? Esse dinheiro também deve ser guardado mensalmente além do valor do objetivo de curto prazo. Lembre-se de atualizar as metas monetariamente, afinal de contas, um carro de valor “x” hoje, terá um valor “y” daqui há 5 anos.

O mesmo vale para a média de curto prazo. Digamos que ela seja a sua aposentadoria. Você pode desde já determinar uma porcentagem do seu salário para investir, por exemplo, no Tesouro IPCA todos os meses. Assim, você conseguirá alcançar os seus sonhos com muito mais equilíbrio financeiro e sem precisar abrir mão deles.

Decidido a fazer o seu planejamento financeiro para 2019? Veja antes quais são os 5 maiores erros que você pode comer e evite-os!