Convicções sobre o dinheiro são verdades que você construiu sobre esse assunto durante toda a sua vida. Seja por meio de experiências, seja pelo que as pessoas ao seu redor falavam, as convicções são construídas ao longo do tempo. Você pode ter criado boas ideias a respeito do dinheiro, mas uma grande parte das pessoas têm convicções ruins sobre ele.

Já ouviu dizer que a vida é pagar boletos? Essa é uma das convicções sobre o dinheiro mais comum e que não poderia estar mais errada. Por isso, é bom avaliar melhor quais são as suas convicções. Vamos lá!

Por que é importante ter consciência das suas convicções financeiras?

Entenda que aprender a economizar, gastar menos do que ganha e algumas mudanças de comportamento estão na superfície. Isso quer dizer que a mudança de comportamento acontece, mas a sua ideia sobre o dinheiro não muda. Você toma essas atitudes porque é o correto a fazer ou mesmo porque já está em uma situação desesperadora.

E, se você está numa situação assim e mesmo fazendo todas as mudanças necessárias, o dinheiro continua correndo de você, pode ser que as suas convicções sobre o dinheiro não sejam as melhores. Mesmo que você não perceba, as suas convicções podem estar atrapalhando o seu desenvolvimento financeiro. Você acaba fazendo coisas no automático e suas atitudes quanto ao dinheiro já estão tão enraizadas que nem ao mesmo percebe o que está fazendo de errado.

As nossas ações são um reflexo do que existe na nossa mente, do que pensamos. Portanto, precisamos modificar a nossa forma de pensar. E, descobrir quais são as suas convicções sobre o dinheiro é fundamental.

Como transformar essas convicções?

Pense na sua infância

O nosso relacionamento com o dinheiro começa na infância, por meio dos nossos pais. Se você cresceu vendo os seus pais com um total descontrole sobre o dinheiro, crescerá com a ideia de que não pode controlar o dinheiro e deixará que ele te controle. Quando adulto, você acabará repetindo esse padrão ou então, pode ser justamente o extremo. Assim, se o seu pai gastava demais, você passa a reter demais, deixando de lado coisas importantes como o lazer.

Quer ver outra situação muito comum? Você já deve ter ouvido frases como “pessoas ricas são ruins”, “quem ganha muito dinheiro é porque está fazendo algo errado”, “dinheiro não dá em árvore”, “os ricos são gananciosos” e assim por diante. Assim, ao longo do tempo, o dinheiro está sempre associado a algo ruim.

Pense no que o dinheiro é para você

E hoje? Depois de adulto? O que o dinheiro é para sua vida? É um só meio de pagar as contas ou é uma forma de conquistar os seus sonhos? De fazer aquela viagem incrível? De fazer o curso e trabalhar no que gosta? Você costuma associar o dinheiro a algo bom a algo ruim? Isso faz muita diferença. Por quê?

Porque, quando você associa o dinheiro a algo ruim, fará o máximo para se livrar dele. Por isso, vai gastar mais do que pode

Analise as suas experiências

Digamos que, em um determinado momento da sua vida, você tentou economizar e investir, mas não conseguiu. Seu carro quebrou, seu cachorro ficou doente, entre outros imprevistos que apareceram e impediram que você concretizasse o seu objetivo. Isso o deixou desanimado e pensou que cuidar das finanças não dá certo para você. 

Mas ter consciência de que isso pode acontecer com qualquer pessoa inclusive com você é necessário para ter uma boa relação com o dinheiro. Persista, tente economizar de novo e fazer a sua reserva financeira. Assim, da próxima vez, os imprevistos serão facilmente controlados.

Quer cuidar melhor do seu dinheiro? Então, se inscreva no meu canal e receba dicas de forma gratuita!