Quando se fala em juros, logo vem uma ideia negativa sobre o assunto. Afinal de contas, o termo juros compostos está, na maioria das vezes, associado a cheque especial, cartão de crédito e por aí vai. Mas a verdade é que o juro composto, se usado a seu favor, pode fazer maravilhas pelas suas finanças.

A gente aprendeu sobre juros simples composto lá no ensino médio e achava que nunca mais ia precisar daquilo. E, eis que chegamos à vida adulta e gostaríamos de ter aprendido muito mais sobre o assunto.

Mas agora vou esclarecer tim tim por tim tim sobre o assunto. Quase uma aula de matemática para esclarecer como os juros podem beneficiar as suas finanças. Confira!

Vamos entender os juros simples

O primeiro passo é entender o mais simples, ou seja, entender como funcionam os juros simples. Para explicar melhor, vou dar um exemplo.

Digamos que você invista R$ 100 com um juros de 10% ao mês. Sendo assim, veja como vão ficar os seus rendimentos:

Bom, já deu para perceber como é que o juro simples funciona não é mesmo? Bom, agora vamos ver como seria esse investimento se fosse feito com juro composto.

Entendendo os juros compostos

Usando o mesmo exemplo de valores acima, vou explicar agora as maravilhas que o juro composto pode fazer pelo seu dinheiro. Vamos lá:

Viu como o juro composto pode ser uma verdadeira maravilha para os seus investimentos? E estamos colocando aqui um valor pequeno, apenas R$ 100 por mês, mas já pensou investir R$ 1 mil? Os ganhos seriam muito maiores.

Resumindo: o juro simples pega sempre como referência o capital inicial, já o juro composto vai usar como referência o montante do mês anterior. É daqui que sai o termo juros sobre juros quando se trata de juros compostos.

Esse é um conhecimento de grande importância para compreender como funcionam os seus investimentos. Por exemplo, os títulos do Tesouro Direto funcionam dessa forma, assim como vários outros investimentos como CDB.

Quer aprender a investir? Então, não perca a Semana no Investidor Iniciante!

E vamos a mais um exemplo…

Você ainda pode não estar convencido do poder dos juros composto, então resolvi mostrar uma comparação com um valor maior do R$ 100, bem maior diga-se de passagem.

Digamos que alguém investiu R$ 100.000 a uma taxa mensal de 1% ao mês por um período de 10 anos (120 meses). Vejamos os resultados:

São R$ 110 mil reais de diferença. Um dinheiro bem considerável heim?

Bom, mas os juros compostos também podem ferrar com a suas finanças. Quer saber como? Então, assista ao vídeo sobre o assunto até o final e aprenda mais sobre ele!