Por conta da crise criada pela Covid-19, muita gente ficou desempregada ou teve os seus ganhos reduzidos e isso vale tanto para trabalhadores formais quanto autônomos. Por isso, saber qual dívida pagar primeiro pode ser uma dúvida ainda mais constante na cabeça de muitos, já que os boletos se acumulam cada vez mais.

E, para responder a essa pergunta da melhor maneira possível, eis abaixo algumas dicas que certamente vão ajudá-lo a tomar a decisão certa. Confira!

1. Não se desespere

Manter a calma nesse momento de renegociação é a melhor coisa que qualquer pessoa endividada pode fazer. Afinal de contas, em pânico é improvável que você consiga pensar em uma solução sensata para o problema.

Ainda mais quando o setor jurídico da empresa entra em contato falando em vários termos dos quais você não tem conhecimento. Por conta disso, acaba aceitando qualquer coisa e, na maioria das vezes, é uma negociação que é muito boa para a empresa, mas para você pode ser uma grande cilada.

Será mesmo que a dívida caduca depois de 5 anos? Saiba a resposta!

2. Identifique a causa

Um dos maiores erros que as pessoas cometem é achar que ganhar mais vai resolver o problema. Na maioria das vezes, não é bem assim que a solução chega.

Na verdade, quem tem problemas para controlar o dinheiro que ganha, quanto mais tiver, mais terá descontrole. Não tem aquela ideia de que quanto mais se ganha, mais gasta? Pois é, é esse exatamente o “X” da questão. 

Assim, você pode até conseguir fazer uma renda extra, mas se não começar a anotar todos os gastos, estabelecer um limite para fixos e variáveis e começar a guardar um pouco todo mês, ficará impossível pagar qualquer coisa. E o pior de tudo é que ainda pode gerar mais dívidas.

3. Há uma ordem de pagamento

Jogar os boletos para cima e pagar aquele que cair primeiro na sua mão não é a melhor forma de decidir o que vai pagar primeiro. Saiba que há uma ordem de pagamento que precisa ser seguida e isso ajuda para que as outras dívidas sejam pagas sem grandes problemas.

4. Pague primeiro as essenciais

As primeiras contas que devem ser pagas são as essenciais, ou seja, aquelas que você precisa para o seu dia a dia e sobrevivência. Por exemplo, conta de água, de luz, supermercado, aluguel e outras. 

Veja também quais foram as medidas determinadas pelo seu estado para o pagamento das contas de água e luz. Alguns permitiram a prorrogação.

5. Em seguida, pague os financiamentos

Depois de pagar as contas mais essenciais, é a hora de pagar os financiamentos e consórcios. Por quê? Porque o imóvel ou o automóvel que você comprou ainda não são seus e se não houver o pagamento, você pode perdê-los. Estamos falando de bens em garantia, por isso, é bom se preocupar com esse ponto.

Depois disso, aí sim você pode se preocupar com cartão de crédito, cheque especial e outras dívidas do tipo. É possível ligar para a operadora e para o seu banco para renegociar o valor do juros ou pedir prorrogação do pagamento. Por causa deste momento de crise da Covid-19, muitas empresas estão fazendo ajustes do tipo.

Quer mais dicas para ajudá-lo a ser qual dívida pagar primeiro? Então, confira o vídeo completo!