Se você está pensando em começar a investir, precisa de toda informação possível sobre o assunto. Afinal de contas, estamos falando do seu dinheiro e, portanto, todo cuidado é pouco. Uma dessas informações essenciais é sobre as siglas e termos do mundo dos investimentos.

Esse é um dos assuntos que gera muitas dúvidas entre as pessoas, mesmo entre os investidores mais antigos. São muitas siglas e isso costuma confundir. Não se preocupe se você não decorar tudo assim que acabar de ler este texto, isso é perfeitamente normal. Apenas vá se familiarizando com eles. Confira quais são os principais.

Selic (Sistema Especial de Liquidação e de Custódia)

Você já deve ter ouvido, enquanto assistia ao jornal, o termo “Taxa Selic”. Ela é a nossa taxa básica de juros da economia. É por meio dela que o governo decide muitas coisas a respeito de taxa de juros para empréstimos, inflação e outros assuntos importantes. Inclusive, para quem deseja investir, existe um título do Tesouro Direto chamado Tesouro Selic que é ideal para quem deseja formar a reserva de emergência.

CDB (Certificado de Depósito Bancário)

Há também um investimento chamado CDB, que muitos bancos costumam empurrar para os correntistas, mas é preciso ter cuidado com isso. Normalmente, são investimentos de baixo rendimento.

A lógica é a seguinte: quando você investe em um CDB isso significa que você está emprestando dinheiro para o banco e ele, por sua vez, pagará uma taxa de juros a você por esse empréstimo. O juros pago costuma ser baixo porque trata-se de uma instituição sólida no caso de bancos maiores e com renome internacional.

Você quer ter maiores rendimentos? Simples: busque investir em CDB’s de bancos de médio e pequeno porte que também conseguem oferecer segurança.

LCI (Letra de Crédito Imobiliário) e LCA (Letra de Crédito do Agronegócio)

As duas letras são investimentos de renda fixa oferecidos pelos bancos. A diferença aqui é que o banco usa o dinheiro investido no LCI para financiamento e empréstimo imobilIário e o LCA para necessidades do agronegócio. Uma vantagem desse tipo de investimento é que não há cobrança do IR sobre o rendimento.

CDI (Certificado de Depósito Interbancário)

O CDI trata-se de uma taxa de juros que é cobrada pelos bancos para empréstimos entre eles. O banco precisa ter um saldo mínimo para manter o seu funcionamento durante o dia. Por exemplo, se em um determinado momento muita gente saca dinheiro, o banco precisa pedir empréstimo para cobrir esses saques. O empréstimo nesse caso é feito em curtíssimo prazo. 

Você terá essa taxa, o CDI, quando for investir em um CDB (Certificado de Depósito Bancário) que rende com base no CDI. Por exemplo, o CDB do banco X rende 110% do CDI.

FGC (Fundo Garantidor de Crédito)

O FGC trata-se de uma entidade privada que tem como principal objetivo garantir a segurança dos correntistas de diversos bancos. Já pensou ter boa parte dos seus investimentos em um banco e ele ir à falência? Dependendo do valor, o FGC devolve esse dinheiro que estava no banco desde que seja de até R$ 250 mil para cada CPF em cada banco limitado a 1 milhão de reais no período de 4 anos. 

Você não precisa gravar todas essas siglas agora, mas saiba que se você está pensando em investir, vai precisar delas. Então, o melhor a fazer é salvar este conteúdo nos seus favoritos para que, sempre que uma dúvida surgir, possa acessar o conteúdo.

Quer mais informações sobre como investir da melhor maneira? Assista à playlist sobre investimentos e tire todas as suas dúvidas!